Translate to English Translate to Spanish Translate to French Translate to German Google-Translate-Portuguese to Italian Translate to Russian Translate to Chinese Translate to Japanese
ENQUETE
Qual a sua religião?
Evangélico
Católico
Testemunha de Jeová
Espírita
Ateu
Mórmom
Macumbeiro
Satanista
Ver Resultados






Partilhe este Site...

link 317438, download pdf, Is This a Zombie?: v. 1, free book, download book, pdf free, download book, download book, download pdf, this link,

ATEÍSMO - O MITO HISTÓRICO
ATEÍSMO - O MITO HISTÓRICO

ATEÍSMO – O MITO HISTÓRICO

 

Os ateus sempre acusam o cristianismo como sendo mais um mito, semelhante as outras religiões, e muito se orgulham disso. Nesse artigo, apresentarei provas de que, na verdade, o ateísmo é o verdadeiro mito histórico.

O QUE É UM MITO?


São relatos sobre seres ou acontecimentos imaginários, idéias falsas, que distorcem a realidade ou não corresponde a ela, algo fictício, irreal, considerado uma fábula.

*O ateísmo afirma que tudo existe através de uma geração espontânea,e alguns atribui e consideram a idade do universo de 13,7 bilhões de anos, um fator positivo, para tal evento, pois o tempo é primordial para que a evolução aconteça.

- Apresentarei aqui alguns argumentos que demonstram quão incoerente é o ateísmo.

Qual seria um limite máximo razoável do número de moléculas que poderiam ter se formado, em qualquer lugar do universo, durante a sua existência (ASSUMINDO A IDADE DE 13,7 BILHÕES DE ANOS?). Isto seria equivalente ao cálculo da probabilidade de ganharmos na loteria. O número total de combinações da loteria supostamente corresponde ao número de proteínas que possivelmente se formaria a partir dos pequenos blocos padronizados de construção, o bilhete vencedor seria correspondente ao pequeno agrupamento de tais proteínas que possuem as características especiais corretas das quais um organismo vivo (como uma simples bactéria) poderia ser formado.

 

Comecemos com o número total de átomos existentes no nosso universo, pois vida é feita de matéria conhecida como átomos. O número aceito de átomos no universo é da ordem de 10 elevado a 80 (o número UM seguido de OITENTA zeros). Precisamos agora definir outros dois fatores: O tempo desde o inicio até hoje e o universo de interações atômicas por segundo por átomo.

O tempo de 13,7 bilhões de anos seria equivalente a 4,32x10 elevado a 17 segundos. Vamos arredondar para 10 elevado a 18 (O QUE SERIA EQUIVALENTE A CERCA DE 30 BILHÕES DE ANOS-MAIS QUE O DOBRO DA IDADE ATUALMENTE ACEITA).


Para o número de interações atômicas por segundo por átomo, vamos assumir 10 elevado a 12, O QUE É UM NÚMERO EXTREMAMENTE GENEROSO, e que inclui também a parte cinética das reações químicas. Vamos assumir também que cada interação atômica sempre produz uma molécula, portanto:10 elevado a 80x10 elevado a 18x10 elevado a 12 nos daria o número de 10 elevado a 110 moléculas únicas que teriam se formado desde o inicio do universo até hoje (USANDO A IDADE DE 30 BILHÕES DE ANOS).


Imaginemos que, para a mais simples forma de vida primitiva aparecer, fossem necessárias 1.000 proteínas, das quais 999 já teriam se formado, portanto, precisaríamos achar apenas a milésima proteína com a sequência correta de aminoácidos necessários, pois esta é a quantidade encontrada nos seres vivos.

 

Estes 20 aparecem nas formas direita e esquerda (DEXTRÓGIROS E LEVÓGIROS), sendo que apenas os de simetria esquerda aparecem na constituição da vida. Vamos ainda ignorar este fato também e assumir apenas 20 aminoácidos.


Ignoremos ainda, o fato de que a reação química envolva na formação de longas cadeias de PEPTÍDIOS é exatamente improvável dentro de qualquer ambiente químico não-vivo (inorgânico), portanto o nosso alvo é apenas obter uma sequência de aminoácidos que venham a produzir uma estrutura protéica tridimensional com o melhor valor possível de funcionalidade.


Vários trabalhos de origem teórica, mas baseados em fatos experimentais, indicam que cerca de 50% do agrupamento de aminoácidos deve estar especificado de forma correta, tendo uma ordem correta. Se considerarmos uma proteína de 200 aminoácidos, o número de tentativas randômicas, seria de 20 elevado a 100,ou 10 elevado a 130 (1,268x10 elevado a 130). Estamos considerando que dos 200 aminoácidos, apenas a metade, 50%, deve estar em ordem correta.


Compare este valor, 10 elevado a 130, com o número máximo de interações desde o inicio do universo até hoje, 10 elevado a 110 (considerando um Universo com 30 bilhões de anos e não com 13,7 bilhões), esta análise mostra que qualquer tentativa (por mais lógica que parecer) de explicar um mecanismo de geração expontânea da origem da vida terá de demonstrar que o mesmo é aceitável racionalmente do ponto de vista estático.

 

Mesmo fazendo com que as suposições sejam as mais favoráveis ao naturalismo, a estastística mostra a impossibilidade dentro da naturalidade evolucionista. Em outras palavras, como seria possível, dentro de uma lógica cientifica, aceitar um evento onde UMA GERAÇÃO ESPONTÂNEA TENHA OCORRIDO? As possibilidades são contra, sendo a probabilidade de uma geração espontânea, do ponto de vista cientifico e estatístico, não existe, a intervenção sobrenatural torna-se ainda mais evidente, pois se algo não pode ocorrer naturalmente é porque o sobrenatural atuou.

PORTANTO,O ATEÍSMO É UM MITO INCOERENTE COM A PRÓPRIA RAZÃO CIENTIFICA.

 

 

O MITO ATEÍSTA DOS ELOS PERDIDOS:

 

Os naturalistas acreditam em ancestrais comuns para todas os seres humanos. Sua teoria (macroevolução) implica a CRENÇA de que todas as formas inferiores por meio de mudanças de uma espécie para outra, ocorreram no decorrer de vários milhões de anos. O próprio pai da evolução moderna (Charles Darwin), reconheceu isso como sendo um problema sério quando escreveu em A ORIGEM DAS ESPÉCIES:


"ENTÃO POR QUE NEM TODA FORMAÇÃO GEOLÓGICA, NEM TODO ESTRATO ESTÃO CHEIOS DE TAIS ELEOS INTERMEDIÁRIOS?"


É claro que Darwin esperava que um número suficiente desses elos perdidos fossem encontrados para substanciar o que ele chamou "TEORIA DA EVOLUÇÃO", em vez de teoria da criação.


Nos quase 150 anos desde que Darwin escreveu, 1859 milhões de fósseis foram desenterrados, mas os elos perdidos necessários para confirmar a teoria da evolução não foram encontrados. Na verdade, descobriram-se que algumas espécies consideradas transicionais na verdade não eram fósseis transicionais.


O HOMEM DE PITDOWN - Uma referência nos livros de ciência e museu durante anos, acabou desmascarado como fraude.

 

O HOMEM DE NEBRASKA - Era uma reconstituição a partir de um dente, que na verdade era de um porco extinto, e mesmo assim foi usado como evidência no julgamento SCOPES(1925) para apoiar o ensino da evolução nas escolas públicas, "QUANTA HONESTIDADE HEIN??”


O HOMEM DE PEQUIM - Alguns questionaram sua validade, baseada em estudos anteriores ao desaparecimento dos pedaços de ossos. Um problema sério é que essa criatura foi morta com um objeto pontiagudo, uma causa de morte altamente improvável para um pré-humano.


O HOMEM DE NEANDERTAL - Sua postura curvada foi atribuída a uma deformidade óssea resultante de uma deficiência de vitaminas que os habitantes das cavernas sofriam por falta de luz solar.


O PEIXINHO QUE CANSOU DO MAR E FOI PASSEAR (O CALECANTO) - Nenhum calecanto foi encontrado com pés evoluindo nele,na verdade,foram encontrados calecantos vivos no presente,e são identicos aos registro fóssil de alguns milhões de anos atrás.


OBSERVAÇÕES: Mesmo que uma série extremamente gradual de fósseis fosse encontrada, havendo assim menos elos perdidos na progressão, isso não provaria a evolução. Semelhança e progressão não provam necessariamente um "ANCESTRAL COMUM", mas pode ser evidências de um criador comum.

 

Ora, se a teoria evolucionista de que temos ancestrais comuns, “homens pré-históricos”, fosse verdadeira, então teríamos um monte de provas, assim como temos dos dinossauros e de outros fósseis, e não restaria mais nenhuma dúvida para ninguém. Contudo, em pleno século XXI, a ciência ainda não encontra respaldos para apoiar a sua TEORIA dos ancestrais comuns humanos!

 

Os evolucionistas às vezes falam da evolução do avião ou do carro, de modelos simples a mais complexos mais tarde, no entanto, nem avião e nem carro evoluem por processos naturais, mas por uma interferência inteligente.

Formas de vidas diferentes podem ser semelhantes extremamente ou até mesmo nos componentes básicos de seus código genético, mas ainda assim ser partes de sistemas completamente diferentes. Assim como é necessário inteligência para criar HAMLET a partir de palavras selecionadas de um idioma, também é necessário inteligência para selecionar e organizar informação genética a fim de produzir uma variedade de espécies que se encaixam num biosistema. Da mesma forma, transformar um peixe num réptil, ou um réptil num pássaro envolve mudanças drásticas e simultâneas em todos os sistemas biológicos do animal, a evolução gradual não pode explicar isso, o mesmo se aplica ao sistema do código genético muito mais complexo.

AQUI APRESENTEI ARGUMENTOS SÓLIDOS E QUE VÃO DE ACORDO COM A CIÊNCIA PARA DEMONSTRAR QUE O ATEISMO NATURAL, NADA MAIS É DO QUE ARGUMENTOS FILOSÓFICOS E SEM NENHUMA VERDADE EMPÍRICA DOS FATOS, PORTANTO, SER ATEU, É SER CONTRÁRIO A TODA VERDADE NO CAMPO CIENTIFICO, QUER SEJA NA ÁREA DA FÍSICA, QUIMICA, BIOLOGIA MOLECULAR E ETC, O QUE MOSTRA QUE SEGUIR O ATEISMO É O MESMO QUE SEGUIR NO SENTIDO CONTRÁRIO A PROPRIA NATUREZA, E FAZ DO ATEÍSMO O MAIOR MITO HISTÓRICO DE TODA A TERRA.

 

Autor: Emmanuel Dijon.

 

----------------------------------------------------------------

Clicando em ENVIAR CARTA, no menu esquerdo, você pode comentar, criticar ou debater sobre os assuntos com o autor do site. 

 

 

Curta no Facebook para estar por dentro das atualizações: